Usina de Resíduos Sólidos é realidade em Catalão

A usina é a primeira do Brasil construída pelo poder público e a inauguração é um marco para a cidade

Muito se fala em sustentabilidade e meio ambiente, mas são poucas as cidades que mostram ações práticas para um futuro melhor, como está acontecendo em Catalão. A cidade se destaca por ser pioneira na criação da Usina de Resíduos Sólidos com Separação de Biomassa. A inauguração da obra ocorreu na quarta-feira (23) e foi prestigiada por autoridades políticas e representantes da comunidade.

A solenidade foi conduzida pelo prefeito Adib Elias e o secretário municipal de Meio Ambiente Silas Tristão, e contou com a presença da secretária de Meio Ambiente de Goiás, Andrea Vulcanis e da governadora do Rotary do Distrito 4770, Eliana Melo Machado Morais.

A usina é a primeira do Brasil construída pelo poder público e recebeu investimento de R$ 2,5 milhões do tesouro municipal. O prefeito Adib Elias demonstrou muita felicidade em entregar ao povo catalano mais uma obra de importância ímpar para fazer uma cidade cada vez melhor. “Depois de termos um aterro sanitário com unidade de tratamento de resíduo hospitalar, de lixo eletrônico, para reciclagem e processamento da coleta seletiva, cemitério de animais domésticos, e até cooperativa dos catadores, entre outros, hoje estamos entregando uma das maiores obras da nossa administração, a Usina de Resíduos Sólidos. Não existe nenhuma usina construída pelo poder público municipal, e isso faz com que Catalão seja referência para todo país”.

A secretária de Meio Ambiente do Estado de Goiás, Andrea Vulcanis, parabenizou o prefeito pela visão de gestão pública, pois “um dos grandes desafios do Meio Ambiente é o tratamento de resíduos sólidos, e Catalão está saindo na frente, não só no estado de Goiás, mas em todo Brasil. Ter uma usina com essa tecnologia é um orgulho para todos nós, e eleva Catalão a nível de Europa. E que sirva de inspiração para os outros municípios de Goiás”.

Benefícios com a usina

Agora, a cidade poderá ser referência em transformar restos de construção civil em energia elétrica. A operação do sistema será simples e eficiente. O material passará por um sistema de triagem e separação da biomassa com reaproveitamento de boa parte dos resíduos que serão transformados em cascalho, brita 1, brita 2, areia e pedrisco, além de energia limpa.

Das 4.500 toneladas de resíduos de construção civil que chegam ao local em média por mês, praticamente 90% tem capacidade de aproveitamento.

Com a usina em funcionamento, além de resolver o problema da falta de espaço dentro do aterro sanitário, os produtos que forem gerados a partir dos resíduos possibilitará a produção de material de construção civil, como por exemplo, tijolos, para que através da Ação Social, o benefício chegue até a população. Além de ajudar a Prefeitura a economizar cerca de um milhão de reais, gastos, mensalmente, apenas com energia.

Catalão será a cidade mais sustentável nesse quesito em Goiás e ainda gerará pelo menos 20 empregos diretos. Essa é a cidade que sonha e faz!

 

SECOM – Prefeitura de Catalão