Por meio de parceria, Prefeitura concederá à ASPAC gestão do Centro de Castração e Reinserção de Cães e Gatos

Enquanto a Prefeitura caminha para a conclusão das obras do Centro de Castração e Reinserção de Cães e Gatos em Catalão, mais um importante passo já foi dado para o funcionamento da unidade. O município firmará parceria com a Associação Protetora dos Animais de Catalão (ASPAC) para gestão do espaço. O projeto de lei de autoria do Poder Executivo já foi enviado à Câmara para apreciação dos vereadores.

De acordo com o documento, além de projetar, construir e entregar o prédio novo e moderno, a Prefeitura fará a aquisição de equipamentos para o centro no valor de até R$ 200 mil, comprará um veículo zero quilômetro para ser utilizado exclusivamente no local (até R$ 50 mil), disponibilizará um médico veterinário para acompanhar os casos, bem como fará um repasse mensal (auxílio financeiro) para manutenção do centro de castração de animais de Catalão.

A parceria terá duração inicial de um ano e passará a valer a partir da aprovação do poder legislativo e posterior sanção do Prefeito Adib Elias. A expectativa é que até setembro o convênio já esteja em funcionamento no município.

Sobre o espaço

O espaço físico do Centro de Castração e Reinserção de Cães e Gatos de Catalão contará com uma clínica de 220 m² com centro cirúrgico, baias para canil (com capacidade para 50 cães e 50 gatos), recepção, enfermaria contagiosa e não contagiosa, sala de assepsia, expurgo, garagem para castramóvel e área verde, totalizando 413 m² de área construída em um terreno de 1.200 m². No total, a obra representa um investimento de mais de R$ 450 mil.

A direção da ASPAC disse que o seu papel no Centro de Castração será de gestão através do termo de fomento entre a Prefeitura e a ASPAC. A associação vê o projeto como a realização de um sonho. “O Centro de Castração representa um marco histórico para a causa animal em nossa cidade. Catalão será o primeiro município do interior de Goiás a ter um espaço com toda a infraestrutura necessária já projetada para a castração, com foco na diminuição dos cães e gatos nas ruas. A ASPAC vê no projeto a realização de um sonho. Sabemos que o resultado não será imediato, mas que de médio a longo prazo já poderemos notar o impacto do projeto na cidade. Uma gata não castrada e seus descendentes, por exemplo, podem ser responsáveis por 420 mil novos gatos num período de 7 anos. O intuito do projeto é interromper esse ciclo e diminuir a natalidade desses animais. A associação se sente privilegiada por ter a oportunidade de gerir o Centro de Castração e por todo o investimento e confiança do Poder Público de Catalão na causa.  Seremos a primeira associação do Brasil a fazer gestão de um projeto desta amplitude”, disse Ângela Maria Pereira Neto Borges, membro da direção da ASPAC.

ASCOM – Prefeitura de Catalão