CRAS realiza acompanhamento de cerca de 1.300 pessoas por mês em Catalão

O Centro de Referência é a porta de entrada da Assistência Social

Quem precisa de auxílio social tem lugar certo em Catalão. Com uma equipe completa e preparada o Centro de Referência da Assistência Social – CRAS – oferece diversos serviços, acompanhamento e orientação mensal a 150 famílias, ou seja, mais de 1.300 pessoas são atendidas por mês na unidade que é um departamento da Secretaria de Promoção e Ação Social. O foco é a busca pela superação das desigualdades sociais e a promoção da vida.

O público alvo do CRAS são famílias que, em decorrência da pobreza, se encontram em situação de risco social: sem renda e sem acesso aos serviços públicos, além de serem vítimas de discriminação. Atende famílias e indivíduos em situação grave de desproteção, pessoas com deficiência, idosos, crianças retiradas do trabalho infantil, pessoas inseridas no Cadastro Único, beneficiários do Programa Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros.

O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) é responsável pelos serviços socioassistenciais nas áreas consideradas vulneráveis e com algum risco social no município. Mas qual a real função do CRAS? Sua principal função, como já mencionado, é prevenir que ocorram situações consideradas vulneráveis e de risco social aqui na cidade.

Seu principal trabalho é o PAIF (Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família), dando auxílio e orientações as famílias para prevenir situações de vulnerabilidade ou violência. Através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, eles buscam reunir pessoas que estão na mesma faixa etária (crianças, adolescentes ou idosos) para desenvolver determinadas ações em grupos.

Os principais serviços prestados pelo CRAS em Catalão são:

Encaminhamentos para atendimento de outros órgãos (Defensoria Pública, Secretaria de Educação, Secretaria de Saúde, Ação Social para auxílios); declaração transporte do idoso, segunda via de certidão de nascimento, óbito e casamento para carentes;

Acompanhamentos e atendimentos realizados pela equipe (assistente social, coordenadora e psicóloga); acompanhamento de frequência escolar das famílias em descumprimento das condicionalidades inseridas no Programa Bolsa Família; acompanhamento das famílias através do Conselho Tutelar, Judiciário e Ministério Público;

Atendimento, orientação e agendamento para requerer o BPC, benefício de 1 salario mínimo pago às pessoas com 65 anos ou mais (conforme prevê o artigo 34 do Estatuto do Idoso e Lei Orgânica da Assistência Social - LOAS - LEI 8.742). Esse benefício também é concedido à pessoa com deficiência, que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção nem tê-la provida por sua família.

Serviços ofertados

O Cras oferta o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif) e o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Aqui, os cidadãos também são orientados sobre os benefícios assistenciais e podem ser inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Resumidamente são essas as principais funções do CRAS:

Fazer a oferta do serviço PAIF e outros programas e/ou projetos socioassitenciais;

Fazer a articulação e fortalecimento da rede de Proteção Social Básica local;

Fazer a prevenção de risco em toda a cidade;

Garantir direitos através de encaminhamentos e orientações durante os atendimentos.

É através dele que famílias consideradas em situação de extrema pobreza, tem acesso a serviços para cadastrar e acompanhar os programas de transferência de renda.

O trabalho exercido pelas equipes do CRAS nas comunidades carentes (tanto na cidade como na zona rural) é visível. Idosos, crianças, pessoas em condições desfavoráveis e até mesmo dependentes químicos são diariamente amparados pelos serviços, que oferecem tratamento e assistência psicossocial (em alguns casos essas pessoas são cadastradas para receber bolsa-auxílio).

É obrigatório que qualquer CRAS, seja aqui em Catalão ou em outra cidade, faça a oferta do serviço PAIF. Isso se deve, pois, a existência dele está totalmente ligada ao funcionamento desse serviço, seja financiado pelo Governo Federal ou não.

Com isso, pode-se afirmar que não existe CRAS sem PAIF. Pois, se houver a oferta do mesmo, o CRAS não pode ser identificado como um centro de referência. É a partir desse trabalho social com as famílias que são organizados os demais serviços.

Sobre a importância desse centro e o trabalho da equipe a coordenadora do Cras, Ana Carolina Cândido Mariano aproveitou para destacar: “É por meio do CRAS que a proteção social da assistência social se territorializa e se aproxima da população, reconhecendo a existência das desigualdades sociais intra-urbanas e a importância presença de políticas sociais para reduzir essas desigualdades, pois previnem situações de vulnerabilidade e risco social, bem como identificam e estimulam as potencialidades locais, modificando a qualidade de vida das famílias que vivem nessas localidades”.

ASCOM – Prefeitura de Catalão