Conselho Municipal da Criança e do Adolescente repassa verba para instituições filantrópicas em Catalão

Em parceria com empresas e pessoas físicas, a Prefeitura de Catalão através da secretaria de Promoção e Ação Social por meio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente fez na última sexta-feira (8) a distribuição de recursos do fundo municipal (FMDCA). Oito instituições que prestam serviços filantrópicos assistenciais foram contempladas.

Os recursos oriundos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA) são destinados aos projetos das entidades legalmente constituídas do Município de Catalão que atuam no atendimento de Crianças e Adolescentes em atividades socioeducativas, esporte, cultura e lazer. As instituições interessadas se inscreveram por meio de edital e depois tiveram seus projetos avaliados por uma comissão. Com a aprovação, oito instituições tiveram seus projetos aprovados e então, durante evento oficial, o Conselho Municipal fez a entrega de cheques simbólicos a essas Organizações não governamentais que agora têm seus projetos financiados pelo Conselho por meio de grandes empresas como CMOC e John Deere.  

Entre os contemplados: Associação Pestalozzi de Catalão (Transporte Escolar Urbano: Promovendo Cidadania e Inclusão) R$ 153.999,00; Obras Sociais Paulo & Estevão (Alimentar para o Futuro) R$ 180.000,00; Escola Creche São Francisco de Assis (Renovação da Escola) R$ 114.977,94; ASCATE (Associação Catalana de Equoterapia – Caminhar com um amigo e viver sem limites) R$ 180.000,00; Fundação Dom Pedro II (Programa Educacional Bombeiro Mirim) R$ 115.627,60; Obras Sociais Jorge Faim Filho – OSJOFF (Projeto Futsal Chegou a Hora de Crescer II) R$ 99.484,00; Associação Laços do Bem (Encanto Sonoro Violão e Canto Coral) R$ 146.551,00 e APMF do CEPI da PMG Polivalente Dr. Tharsis Campos  (Laboratório de Ciências da Natureza) R$ 173.685,83.

De acordo com o Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Leovil Evangelista, a entrega dos cheques que representa a distribuição dos recursos traz também a oportunidade de reflexão. “O mais importante é percebermos através desse momento e após muito trabalho, que nós do poder público, ONG’s e a iniciativa privada, representamos um grupo e uma inciativa que acredita num futuro melhor para nossas crianças e adolescentes. Sabemos que é necessário trabalhar na busca de um novo caminho que direcione e tire as crianças do submundo, cada vez mais perigoso, que destrói não só vidas inocentes, mas também famílias, todo um grupo social. E hoje, estarmos aqui é o resultado de uma luta que começou bem pequena ainda em 2017, mas graças a parceiros e a confiança a nós depositada se transformou em credibilidade, através da qual tivemos condição de construir nossa rede de proteção e garantia dos direitos”, ressaltou o Presidente do Conselho, Leovil Evangelista.

ASCOM – Prefeitura de Catalão