Após vitória na Olimpíada Nacional de Português, aluna e professora são recepcionadas na Escola Nilda Margon Vaz

A conquista do primeiro lugar em “Crônica”, na Olimpíada Brasileira da Língua Portuguesa, de uma aluna do 8º ano, da Escola Nilda Margon Vaz, rendeu muitos elogios, comentários e manifestações positivas por várias partes de Catalão, principalmente nas redes sociais. Após receber a premiação e ser medalha de ouro pela produção do texto “O apanhador de acalantos”, Beatriz Pereira Rodrigues, 13 anos e a professora, Vânia Rodrigues Ribeiro, retornaram à cidade e foram recepcionadas calorosamente na unidade escolar da rede municipal de ensino, que acabou ganhando destaque em todo país.

Para a chegada da dupla, a direção do colégio junto a representantes da Secretaria Municipal de Educação, preparou e serviu um café da manhã coletivo. Foi a oportunidade de a estudante e a professora compartilharem a experiência que, agora, serve como estímulo, um grande exemplo para todos.

“Foi um momento único e muito gratificante, tanto a viagem como poder trazer o ouro para Catalão. Algo que, sem sombra de dúvidas, vou levar para o resto da minha vida. Conhecer outras culturas, levar um pouco da minha região, realmente foi maravilhoso. E se teve uma coisa que eu aprendi é que com os estudos a gente pode chegar muito, muito, muito longe. Porque a OLP [Olimpíada da Língua Portuguesa] era um sonho que eu tinha desde 2016 quando eu conheci o projeto, e agora ter conseguido tudo isso, receber todas as homenagens é uma honra muito grande”, disse Beatriz Pereira Rodrigues.

A professora que apresentou o projeto à aluna campeã, que desenvolveu todas as atividades e acompanhou cada passo até essa grande conquista. “Nós trabalhamos desde fevereiro com oficinas de produção de texto, para ensinar como desenvolver os gêneros: crônica, memórias literárias. Fizemos algumas oficinas de reescrita para aprimoramento, melhorar a questão da qualidade literária do texto, figuras de linguagem e marcas de autoria. O texto da Bia foi muito interessante, ela falou de um senhor de idade e, do ponto de vista dela, da solidão. Ela fez um paralelo da solidão do senhorzinho e do mundo dos adolescentes hoje em dia, dizendo que o exemplo do velhinho a movia a mudar de atitude. Penso que o diferencial é isso: um texto que emociona quando você lê, faz uma reflexão sobre o abandono das pessoas mais velhas, a solidão e a indiferença que os mais novos estão sentindo. Então, acho que a emoção que o texto passou foi o grande diferencial”, disse Vânia Rodrigues Ribeiro que completou falando sobre o momento da premiação: “Como professora, foi o dia mais feliz da minha vida. No campo profissional foi a realização de um sonho muito grande. Me senti prestigiada e mais feliz ainda em estarmos representando Catalão e levando o nome da nossa cidade na área da educação. Para a Bia, que escreve muito bem, desejo que a partir de agora alce voos ainda maiores e que para os outros, fique o exemplo”.

Também emocionada e compartilhando da mesma alegria estava a diretora da Escola Nilda Margon Vaz, Daniela Rezende, ao receber novamente na unidade, aluna e educadora. Sobre a importância do momento que deu ainda mais destaque ao nome da escola, uma unidade da rede pública municipal de ensino, localizada na periferia, ela foi categórica: “Eu resumo tudo isso que estamos vivendo em trabalho sério e compromisso. Temos aqui os melhores profissionais da área da educação trabalhando conosco, uma equipe realmente excelente e com gestão digo que oferecemos um terreno fértil. Para nós o resultado é grandioso e deve ser comemorado, mas o mais importante é o processo porque é de aprendizado e de construção, formação dos nossos alunos”.

Essa é a Prefeitura de Catalão. Cidade que Sonha e Faz!

ASCOM – Prefeitura de Catalão