Prefeitura divulga estudo que aponta déficit habitacional de 30 mil moradias em Catalão

Relatório será encaminhado para a Caixa Econômica Federal e deixará Catalão hábil para captação de recursos junto ao Governo Federal.

Em pouco mais de 70 dias de gestão, o Governo da Cidade de Catalão já tomou as primeiras medidas para tentar solucionar o déficit habitacional do município. Na última terça-feira (12/03) a Secretaria Municipal de Assuntos Comunitários apresentou a 3ª etapa do Plano Local de Habitação e Interesses Social (PLHIS).

O levantamento começou ser elaborado em 2010, mas estava paralisado desde 2012. Vanja Paranhos, secretária de Assuntos Comunitários, destacou a importância da retomada do plano. “Quanto assumi a pasta, o prefeito Jardel Sebba pediu que fôssemos céleres em apurar a demanda acumulada, demanda futura e o déficit habitacional de Catalão. E isso só foi possível averiguando o estudo e dando continuidade aos trabalhos”, disse.

Na ocasião, o geógrafo e urbanista de Uberlândia (MG) Lázaro Vinícius de Oliveira foi o responsável pela explanação do levantamento. No diagnóstico foi constatado um déficit habitacional de 30 mil unidades em Catalão que se acumulou desde a década de 80. Segundo ele, o crescimento populacional foi maior do que a produção de moradias para famílias com baixo poder aquisitivo.

Oliveira explicou que o problema começou a ser solucionado a partir da retomada do plano habitacional. “O projeto ficou paralisado deste o ano passado, não sei por qual motivo. Isso levou Catalão para a lista de inadimplentes no Governo Federal. O estudo visa diminuir esse déficit e isso pode ir até 2025. A partir de atitudes como essa do prefeito Jardel Sebba em dar continuidade ao levantamento, será possível tornar o município hábil para captação de recursos junto ao Ministério das Cidades.”

Além do Ministério das Cidades os projetos desenvolvidos poderão ser encaminhados para o Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento e outras instâncias de governo ou de cooperação internacional de desenvolvimento onde hajam recursos na área de habitação.

Com a reunião foi possível deliberar o plano para o estudo seja encaminhado à Caixa Econômica Federal. O banco será responsável pela avaliação podendo aprovar na íntegra ou exigir uma retificação do projeto. “Depois dessa análise que vai ser possível tornar Catalão hábil para pegar o plano desdobrar em forma de projetos de captação de recursos.”

Para o Assessor de Assuntos Especiais do Município Fernando Safatle, a reunião foi extremamente importante e esclarecedora já que o levantamento vislumbrou possibilidades de projetos e investimentos. Para ele com a ajuda do Governo Federal será possível angariar recursos para sanar o déficit habitacional do município “Sem conhecer a nossa realidade e deficiências, jamais vamos conseguir levantar projetos e direcioná-los as fontes de recursos disponíveis no Governo Federal. E foi bastante positiva a retomada deste trabalho logo agora no início da gestão do prefeito Jardel Sebba”, avaliou Safatle.

Compartilhe este post: Facebook Twitter Google Plus RSS Email